OUÇA 105,9 AO VIVO
 

Notícias

  • Brasil volta a ter menor média móvel de óbitos por Covid desde maio, com 403 por dia; total de mortos passa de 160,2 mil - 03/11/2020


    O consórcio de veículos de imprensa divulgou novo levantamento da situação da pandemia de coronavírus no Brasil a partir de dados das secretarias estaduais de Saúde, consolidados às 20h desta segunda-feira (2).

    O país registrou 168 mortes pela Covid-19 nas últimas 24 horas, chegando ao total de 160.272 óbitos desde o começo da pandemia. Com isso, a média móvel de mortes no Brasil nos últimos 7 dias foi de 403, a menor desde 4 de maio (quando estava em 396). A variação foi de -26% em comparação à média de 14 dias atrás, indicando queda nas mortes por Covid.

    Em casos confirmados, desde o começo da pandemia 5.553.378 brasileiros já tiveram ou têm o novo coronavírus, com 8.563 desses confirmados no último dia. A média móvel de novos casos nos últimos 7 dias foi de 20.261 por dia, uma variação de -11% em relação aos casos registrados em duas semanas, o que caracteriza uma situação de estabilidade.

    Um estado apresenta indicativo de alta de mortes: Santa Catarina. Outros 15 estados e o DF têm curvas que apontam queda.

    Vale ressaltar que há estados em que o baixo número médio de óbitos pode levar a grandes variações percentuais. No AC, por exemplo, a média estava em 1 permaneceu em 1 no período de duas semanas, resultando em uma variação de +40%. Foi similar ao que ocorreu no AP, onde a média se manteve em 1, e a variação ficou em +60%. Os dados de médias móveis são, em geral, em números decimais e arredondados para facilitar a apresentação dos dados.

    Subindo (1 estado): SC - Em estabilidade, ou seja, o número de mortes não caiu nem subiu significativamente (10 estados): ES, RJ, MS, AM, AP, PA, BA, MA, PI e SE.

    Em queda (15 estados + o DF): PR, RS, MG, SP, DF, GO, MT, AC, RO, RR, TO, AL, CE, PB, PE e RN.

    Essa comparação leva em conta a média de mortes nos últimos 7 dias até a publicação deste balanço em relação à média registrada duas semanas atrás.

     

  • Oito colinenses seguem em tratamento da COVID-19 - 03/11/2020


    Em boletim divulgado ontem pela Secretaria Municipal da Saúde, foi informado que Colina tem no momento oito colinenses em tratamento da COVID-19, sendo que seis estão em tratamento domiciliar e dois na UTI em Barretos.

    Casos suspeitos somam 18, sendo que 16 estão em isolamento domiciliar e dois na enfermaria de Colina.

    A DRS V, sediada em Barretos e da qual Colina faz parte, apresenta queda de 36,3% nos novos casos e de óbitos, 30,1%.

    A taxa de ocupação dos leitos de UTI está em 40,8% e as novas internações caíram 29,3%.

    Em boletim divulgado ontem pela Secretaria Municipal da Saúde, foi informado que Colina tem no momento oito colinenses em tratamento da COVID-19, sendo que seis estão em tratamento domiciliar e dois na UTI em Barretos.

    Casos suspeitos somam 18, sendo que 16 estão em isolamento domiciliar e dois na enfermaria de Colina.

    A DRS V, sediada em Barretos e da qual Colina faz parte, apresenta queda de 36,3% nos novos casos e de óbitos, 30,1%.

    A taxa de ocupação dos leitos de UTI está em 40,8% e as novas internações caíram 29,3%.

     

  • Missa de Finados será na igreja matriz - 30/10/2020


    A missa de Finados no cemitério é uma tradição que anualmente reúne um grande número de participantes porém, devido à pandemia, não haverá nenhuma celebração religiosa no local no feriado da próxima segunda-feira, dia 2.

    Padre Santana disse que foi até cogitada a possibilidade da celebração ser realizada do lado de fora do cemitério, mas a hipótese foi descartada já que a concentração de pessoas iria acontecer da mesma forma. “Resolvemos não fazer nada no cemitério este ano porque o público não iria respeitar o distanciamento. Temos que nos adaptar ao novo normal e colocar a vida das pessoas em primeiro lugar”, destacou o pároco.

    A missa no feriado de Finados será realizada às 8 horas na igreja matriz, que também será transmitida pelas redes sociais da Paróquia São José. “Demarcamos os bancos para que o público respeite o distanciamento durante as missas, que estão sendo realizadas com um número reduzido de fiéis. Após assistir a celebração presencial ou on-line, o público poderá se dirigir ao cemitério para homenagear seus entes queridos”, explicou Santana que informou: “as pessoas podem procurar a secretaria paroquial para fazer suas intenções aos mortos que serão lidas durante a missa”.

    PÚBLICO DEVE SER MENOR -  O administrador do cemitério, Eugênio José Borges Donini, disse que o movimento é bem maior no dia de Finados e também nos dias que antecedem ao feriado, mas por conta da pandemia está sendo esperado um público menor para este ano. “Resolvemos não fazer nada pensando na segurança de todos. O cemitério está sendo preparado nesta semana com uma limpeza geral e nada mais”, disse Borges. As limpezas, pinturas e pequenos reparos nos túmulos estão permitidos e podem ser feitos até no domingo, dia 1º, véspera do feriado, das 7 às 17h.

    AREIA NOS VASOS - A Secretaria de Saúde, por meio do Departamento de Controle de Vetores, faz alerta para que o público que for ao cemitério no Dia de Finados utilize areia ao invés de água nos vasos para evitar a proliferação do mosquito transmissor da dengue e de outras doenças.

    “Qualquer recipiente exposto ao ar livre pode se tonar um criadouro do mosquito e trazer sérios problemas à vizinhança. Neste período do ano, em que se alternam dias de chuva e de calor, o cuidado tem que ser permanente, ainda mais pelo cemitério ser um ambiente favorável à reprodução e sobrevivência de larvas”, explicou Antonio Figueira, coordenador de fiscalização epidemiológica que ressalta: “pedimos para que a população evite flores artificiais, levem vasos furados para que não acumulem água, não utilizem pratinhos, retirem embalagens e celofanes das flores e que preencham os vasos até a borda”.

     

  • Prefeitura de Colina entrega nova Escola de Educação Infantil no bairro COHAB 3 - 30/10/2020


    Mais moderna e funcional, a nova Escola vai absorver as crianças da EMEI “Adércia Teixeira Gontijo Ferreira”, ampliando a capacidade de atendimento e a faixa etária.

    Com o objetivo de melhorar ainda mais a qualidade do ensino no município, a partir de um ambiente propício para acolhimento das crianças, bem como oferecer melhores condições de trabalho para professores e funcionários, a Prefeitura Municipal de Colina, por meio da Secretaria Municipal de Educação e Cultura colocará em funcionamento, nos próximos dias, uma nova Escola de Educação Infantil.

    Essa nova unidade, que está localizada na Rua Santo Paro, nº 750, no Conjunto Habitacional “Napoleão Francisco Jorge” – COHAB 3, atenderá tanto a demanda do bairro, com as crianças da EMEI “Adércia Teixeira Gontijo Ferreira”, quanto das localidades próximas, pois oferecerá novas vagas a alunos da faixa etária de 0 a 5 anos (creche e pré-escola), com o atendimento de mais 150 crianças em regime de tempo integral ou meio período (manhã e tarde).

    Ou seja, com o funcionamento da nova EMEI “Adércia Teixeira Gontijo Ferreira”, que antes tinha capacidade para atender apenas 40 alunos de creche (0 a 3 anos), agora a escola passará a atender 150 alunos na faixa etária de 0 a 5 anos (creche e pré-escola).

    A moderna unidade de Educação Infantil conta com 890,33m² de área construída; infraestrutura para acessibilidade, a fim de permitir seu uso por alunos e pessoas com deficiência; salas de berçário, maternal, recreação e pré-escola; sala de amamentação; sala de informática e de leitura; sanitários; almoxarifado; administração; sala dos professores; pátio coberto; solários; cozinha; lactário; lavanderia; rouparia; despensa; vestiários; sanitários para funcionários e varanda.

    A creche foi construída pela Prefeitura de Colina em parceria com o Governo Federal – por meio de convênio com o Ministério da Educação, pelo Programa PROINFÂNCIA, Projeto Tipo 2.

    A Prefeitura está realizando, em fase de licitação, a aquisição de mobiliários e equipamentos para a nova unidade: berços; colchonetes; cadeiras de alimentação; poltronas de amamentação; mesas e bancos de refeitório; quadros brancos e conjuntos de sala de aula para alunos e professores; conjunto de mesas e cadeiras para sala de informática; placas de tatame; conjuntos de mesas e cadeiras, armários, arquivo e quadros de aviso para dependências administrativas; play ground com balanço, casa de bonecas, escorregador, gira gira carrossel, gangorra e túnel lúdico, e também equipamentos como: refrigeradores; freezer; fogões; microondas, lava-louça; liquidificadores; batedeira; lavadora e secadora de roupas; lixeiras; bebedouros de água; aparelhos de ar condicionado; ventiladores; televisores; aparelhos de som; entre outros.

    Para a Profª. Elizabete Milani Neme, responsável pelo Expediente da Secretaria Municipal de Educação e Cultura, “essa é a terceira escola de educação infantil, num período de três anos, que a Administração coloca em funcionamento para ampliar o atendimento na educação infantil e manter zerada a lista de espera por vagas na creche; uma escola com estrutura ampla e inovadora, que proporcionará o desenvolvimento pedagógico dentro dos padrões de qualidade para as crianças e também as condições ideais de trabalho para os profissionais. Mais um grande salto na qualidade do ensino infantil”, destacou, acrescentando: “oferecer boas condições para os alunos e para os profissionais da Educação é um dos compromissos da atual Administração, e desde o início do governo temos trabalhado muito para isso. As crianças são o futuro promissor do nosso país e esse futuro começa nos lares e, sobretudo, dentro das escolas”.

     

  • Colina tem oito pessoas em tratamento da COVID-19 - 30/10/2020


    Segundo dados divulgados ontem pela Secretaria Municipal da Saúde, oito colinenses estão em tratamento da COVID-19. Seis seguem tratamento domiciliar e dois na UTI em Barretos.

    A cidade tem 16 casos suspeitos e todos estão em isolamento domiciliar.

    Desde o começo da pandemia, em março, Colina tem 359 casos confirmados de COVID-19, com 15 óbitos.

    A variação mensal de novos casos na Região da DRS V, sediada em Barretos, da qual Colina faz parte apresenta queda de 33,2% e de óbitos 16,9%.

    A média móvel de novos casos está em 57 e de mortes 3.

    A taxa de ocupação de enfermarias está em 12,5% e de UTIs 43,4%.

     

  • Ponto facultativo pelo Dia do Servidor Municipal será nesta sexta-feira, 30 de outubro - 29/10/2020


    O ponto facultativo pelo Dia do Servidor Público Municipal, comemorado em 28 de outubro, foi transferido em Colina para esta sexta-feira, dia 30. Neste dia, as repartições e os serviços municipais não funcionarão, conforme determina o Decreto n°. 4.295, de 20 de outubro de 2020, assinado pelo Executivo.

    Durante o período, as atividades consideradas essenciais e de interesse público, prestados pelo município à população, serão realizados normalmente. Ficam mantidos os serviços de limpeza pública; coleta de lixo; serviços de saúde, por meio do Pronto Atendimento Municipal e o plantão do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAEC).

    Com a transferência do ponto facultativo os funcionários municipais contarão com um final de semana prolongado, já que na segunda-feira, 02 de novembro, é feriado nacional de Finados. Na terça-feira, dia 03, o atendimento voltará ao normal na Prefeitura de Colina.

     

  • Decreto libera abertura de museus e espaços culturais - 29/10/2020


    Com a manutenção da região na Fase Amarela do Plano SP de contingência ao novo coronavírus, a Prefeitura de Colina editou novo decreto, mantendo as recomendações que já vinham sido cumpridas e liberando a abertura de museus e espaços culturais.

    Os espaços podem receber até 40% de sua lotação total, sendo que os visitantes devem seguir os protocolos e segurança, como distanciamento, higienização das mãos e uso obrigatório de máscaras.

    As festas em salões, buffets e afins, seguem proibidas.

    O mesmo decreto também mantém a suspensão das aulas no município até o fim de 2020.

     

  • Colina tem nove pessoas em tratamento da COVID-19 - 29/10/2020


    Segundo dados da Secretaria Municipal da Saúde de Colina, nove colinenses estão e tratamento da COVID-19, sendo que sete estão em tratamento domicilia e dois na UTI de Barretos. Casos suspeitos são 12 e todos estão em isolamento domiciliar.

    Desde o começo da pandemia, Colina tem 358 casos confirmados da doença e 15 óbitos.

    A Região da DRS V, da qual Colina faz parte, apresenta uma queda de novos casos de 33,9% e de óbitos de 22,1%. A taxa de ocupação de enfermarias está em 12,% e das UTIs em 44,4%.

    O número de novas internações caiu 6,8% em trinta dias.

     

  • 'LUA AZUL': RARO EVENTO CÓSMICO PODERÁ SER VISTO NESTE 31 DE OUTUBRO - 28/10/2020


    Ela não é realmente azul. É uma lua cheia, como qualquer outra, da cor que a maioria das luas cheias são vistas: cinza claro, branco leitoso ou prateado.

    O que torna estranho esse fenômeno, que o folclore batizou de "Lua Azul", é que ela é a segunda lua cheia em um único mês, quando o normal é termos apenas uma.

    O ciclo lunar, período em que ocorrem todas as fases da Lua, se repete a cada 29,5 dias ou mais.

    Para que a "Lua Azul" ocorra são necessárias duas coincidências: a primeira lua cheia precisa ocorrer no primeiro ou segundo dia do mês, e este mês precisa ter 31 dias. Assim, é provável que apareça uma segunda lua cheia.

    Esse fenômeno é conhecido como "Lua Azul".

    O mês de fevereiro, que tem 28 dias, por exemplo, nunca verá uma "Lua Azul".

    Quando é a 'Lua Azul' de 2020? A Lua Azul é um fenômeno incomum que ocorre apenas a cada 2,5 anos.

    A última vez que isso aconteceu foi em 31 de março de 2018.

    Neste ano, ela aparecerá no céu na noite de 31 de outubro a 1 de novembro, quando muitos países celebram o Halloween. No México, o dia marca o começo do festival do Dia dos Mortos.

    Já houve uma lua cheia no dia 1º de outubro e, no final do mês, poderemos ver a segunda.

    Por que Lua Azul? - Como a Nasa explica em seu site, o termo Lua Azul surgiu na década de 1940.

    Na época, o Maine Farmer's Almanac (uma publicação anual que desde 1818 traz previsões sobre eventos ligados a clima nos EUA e Canadá) oferecia uma definição da Lua Azul tão complicada que muitos astrônomos tinham dificuldade em entendê-la.

    Para explicar as luas azuis em linguagem simples, a revista Sky & Telescope publicou um artigo em 1946 intitulado 'Uma vez em uma lua azul'. O autor, James Hugh Pruett (1886-1955), citou o almanaque do Maine de 1937 e disse: "A segunda (Lua Cheia) em um mês, como eu interpreto, é chamada de Lua Azul."

    E assim nasceu a moderna Lua Azul. Ela inspirou livros, filmes e músicas como Blue Moon, composta em 1934 por Richard Rogers e Lorenz Hart, gravada por inúmeros artistas como Elvis Presley, Frank Sinatra, Dean Martin, Billie Holliday e Billy Eckstine.

    Luas e vulcões - Embora a Lua Azul não pareça ser azul, existem luas dessa cor.

    Mas elas só podem parecer azuis após uma erupção vulcânica.

    Em 1883, após o terremoto do vulcão Krakatoa, na Indonésia, as pessoas diziam que em quase todas as noites era possível ver luas azuis.

    Com a força da erupção, semelhante a uma bomba nuclear de 100 megatons, nuvens de cinzas subiram ao topo da atmosfera terrestre e suas partículas fizeram a lua parecer azul.

    Também houve relatos de luas azuis no México em 1983, após a erupção do vulcão El Chichón, e no Estado de Washington em 1980, após a erupção do Monte Santa Helena.

     

  • Polícia Militar aborda casal de estelionatários que aplicavam golpes do cartão clonado na região - 28/10/2020


    Policiais Militares da cidade de Olímpia, cabo Diego e soldado, estiveram na delegacia de Barretos e apresentaram o investigado K.M.S.B., 23 anos, tendo eles relatado que se se encontravam em serviço, quando foram acionados pelos seguranças de um clube social, pois havia um casal em atitude suspeita nas imediações.

    Diante da informação, os policiais se deslocaram até o local próximo ao estacionamento e avistaram um casal com as mesmas características denunciadas, ocasião em que se aproximaram para averiguar e, primeiramente fizeram uma busca pessoal no homem, sendo encontrada a quantia de R$2.624, 00 e vários cartões de crédito e débito em nome de pessoas desconhecidas e um telefone celular, sendo indivíduo devidamente identificado como K.M.S.P., natural de São José do Rio Preto.

    Já a mulher foi identificada como D.O.G., 24 anos, moradora em São Paulo, a qual afirmou que não possuía nenhum vínculo familiar com o investigado, apenas amizade.

    Ao ser indagado o homem não deu nenhuma informação relevante, afirmando apenas que estava interessado em comprar um ingresso para entrar no clube e por isso sacou dinheiro, porém, não soube explicar a origem do valor encontrado na posse dele e também não deu uma explicação sobre os vários cartões de crédito.

    Os Militares, em conversa reservada com a mulher, obtiveram dela a informação de que eles são da zona Norte de São Paulo, e que o homem fazia parte de uma quadrilha e estava acompanhado de mais dois sujeitos que estavam em uma casa alugada na cidade de Olímpia, não sabendo informar o endereço da casa, e que eles estavam aplicando golpes em pessoas de São José de Rio Preto através de ligações telefônicas onde mandavam uma pessoa ir buscar os cartões nas casas das vítimas, e então, de posse dos cartões, eles os utilizavam em saques eletrônicos, e eles também faziam uso de maquinas de cartão que eles tinham trazido de São Paulo, tendo chegado dias antes e planejavam ficar até a semana seguinte.

    Depois de alguns minutos os policiais descobriram o imóvel alugado e foram até lá, ocasião em que encontraram apenas os pertences do casal, estando à casa aberta, ar condicionado ligado e com sinais de que seus ocupantes haviam deixado o local rapidamente.

    Um veículo, que havia sido alugado pela mulher foi encontrado na Avenida do Folclore, sendo o dinheiro, cartões e celular apreendido, e o caso encaminhado ao setor de investigação.